Alimentação infantil saudável: dicas para as crianças comerem bem

Saiba como incentivar os pequenos a comerem bem e terem uma vida com mais saúde

Por: Maria Cecília Arra13/10/2020

alimentação infantil saudável

Muitos pais compartilham a sensação de que seus filhos não estão comendo tão bem quanto deveriam. A gente entende você! Afinal, com tantas opções de fast food e industrializados, ensinar as crianças a importância da alimentação saudável não é fácil. Por isso, conversamos com uma especialista e separamos algumas dicas de alimentação infantil que vão ajudar a tornar os hábitos das crianças mais saudáveis.

A importância de uma boa alimentação infantil

De acordo com dados do Ministério da Saúde, crianças acima do peso possuem 75% de chance de serem adolescentes obesos. Enquanto adolescentes obesos têm 89% de chance de desenvolverem a doença na vida adulta. Por isso, quando o assunto é alimentação saudável, é preciso ter em mente que toda escolha nos aproxima ou nos distancia do bem-estar físico, não importa a idade. “Bons hábitos alimentares podem influenciar o controle de peso na vida adulta e diminuir o risco de desenvolver diabetes, colesterol alto, doenças cardíacas e obesidade”, pontua Aryane Emerick, nutricionista do Smart Fit Nutri (aplicativo com consulta online e chat com especialistas).

Quer ler mais conteúdos como este?

Como incentivar hábitos saudáveis na alimentação infantil?

Nunca é cedo demais para conversar sobre alimentação saudável com seus filhos. Além disso, manter esse diálogo em cada estágio de desenvolvimento deles pode ajudar a promover bons hábitos alimentares ao longo da vida. Abaixo, selecionamos dicas que podem servir como guia nessa jornada. 

1. Transmita o valor do preparo da refeição 

“Permita que a criança participe do preparo das refeições para estimular o seu aprendizado”, recomenda a nutricionista. Você não precisa necessariamente ensinar seu filho a cozinhar o jantar todo, mas deixá-lo colocar a mão na massa – literalmente – pode ser extremamente benéfico. Comece ensinando a lavar os vegetais adequadamente ou manusear uma faca com segurança, por exemplo. Cozinhar proporciona um tempo de qualidade para a família, de reforço de vínculos. Além disso, é uma boa maneira de expandir o paladar dos pequenos, que vão ficar curiosos para provar os alimentos que ajudaram a preparar. 

2. Compartilhe refeições à mesa

O Guia Alimentar para a População Brasileira, referência internacional de saúde e indicador de políticas públicas, reforça que comer em companhia evita que você coma rápido demais. Mas, para as crianças e adolescentes, em especial, também é uma excelente oportunidade de adquirir bons hábitos e valorizar a importância de refeições regulares e feitas em ambientes apropriados. Aliás, estudos sugerem que as famílias que comem juntas nas refeições tendem a ter cardápios de melhor qualidade, com mais frutas e vegetais – e menos fast food e bebidas açucaradas. Mais uma forma de promover uma alimentação infantil mais saudável.

3. Sirva uma variedade de alimentos

Se as crianças não têm a oportunidade de experimentar frutas e verduras, como vão ter a chance de treinar o paladar? Por isso, é primordial que os pais deem preferência à uma alimentação equilibrada, variada e colorida.

Dica da nutri: antes de tudo, se possível, procure fazer as suas compras em locais com uma boa variedade de alimentos in natura ou minimamente processados. 

4. Tenha paciência

Não desista diante da primeira negativa ao apresentar uma nova opção ao seu filho. A alimentação infantil é um processo e as crianças são naturalmente atraídas para o que é familiar. “Às vezes, mudar a forma de preparo pode tornar a comida mais saborosa e atrativa”, explica Aryane Emerick. Se as crianças experimentam um alimento repetidamente, mesmo que seja apenas olhando para elas no prato ou sentindo sua textura, ele se torna mais familiar. Isso pode torná-las mais dispostas a comer (ou, pelo menos, a provar uma colherada). 

5. Não estrague o apetite deles 

Antes de mais nada, para estarem abertos a novos sabores, crianças e adolescentes precisam chegar à mesa com fome. Aryane Emerick diz: “Respeite o apetite da criança, sem forçar a refeição. O melhor é estabelecer uma rotina, com horários repetidos ao longo da semana”.

6. Dê o exemplo para uma alimentação infantil saudável

Por fim, crianças comem melhor quando seus pais também fazem isso. Portanto, mostrar exemplos de escolhas alimentares mais inteligentes ​​e ser um modelo positivo é a melhor maneira de influenciá-las a ter hábitos mais saudáveis.

Ao continuar a usar o site, você concorda com o uso de cookies. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close